SEXTA-FEIRA, 28 DE JULHO DE 2017

Linha de crédito do Governo de Goiás fomenta os pequenos negócios com juros baixos e acesso rápido
Data de publicação: 15 de maio de 2017 - 7:30


27-04-17-BrigaderiaPoema-Camila-Leoiran (18)

 

Gabriela Louredo

Empreender não é tarefa fácil, ainda mais quando se está começando. Que o diga Camila Moreira, que há cinco meses decidiu apostar no delicioso sabor do chocolate com toque gourmet e abriu as portas de uma franquia de brigaderia em Goiânia. O primeiro grande desafio do negócio foi a Páscoa deste ano. No entanto, a empresária precisava de capital de giro para comprar matéria-prima e ampliar o estoque. A saída foi um empréstimo do programa Crédito Produtivo, do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), rápido e com baixa taxa de juros. “É a melhor taxa do mercado”, diz.

Apesar dos tempos de crise, o resultado foi surpreendente. “As vendas (Páscoa) superaram as expectativas. Essa ajuda é muito importante porque é difícil pra uma microempresa recém-aberta conseguir crédito e esse empréstimo já me deu a possibilidade de alavancar o negócio de início”, avalia.

Em breve, Vanessa Faria de Sousa, proprietária de uma clínica de estética na capital que funciona desde 2014 e emprega quatro funcionários, também será beneficiada pelo Crédito Produtivo, o que vai trazer um novo fôlego para o negócio. Ela pensou em desistir do sonho em 2016 com a crise financeira refletindo na queda das vendas e na baixa procura pelos serviços. Ainda bem que em 2017, o mercado dá sinais de recuperação e ela agora está mais otimista, principalmente com o estímulo do Governo de Goiás.

“Recebi uma ligação do governo me informando sobre a linha de crédito, dizendo que o meu negócio tinha o perfil e oferecendo. Gostei muito porque o dinheiro pode ser usado como capital de giro. Isso é essencial. Ajuda a dar uma respirada”, comenta.

Maior teto de financiamentos e redução de juros contribuíram para aumento da demanda

27-04-17-BrigaderiaPoema-Camila-Leoiran (21)Destinado a estimular o crescimento das micro e pequenas empresas goianas, o Programa Crescer Competitivo, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), já liberou, no primeiro trimestre de 2017, mais de R$ 3,6 milhões em empréstimos, 70% a mais do que no mesmo período de 2016. Estima-se que, até o final do ano, o quantitativo total de financiamentos contratados chegue a R$ 15 milhões, representando crescimento de 300% na comparação com o volume de 2016 – R$ 5,9 milhões. Podem requerer os recursos quem estiver enquadrado no Microempreendedor Individual (MEI), além de empresas de micro e pequeno porte e médias desde que estejam devidamente formalizadas e com a documentação regular.

Superintendente de Micro e Pequenas Empresas da SED, Thiago Falbo atribui o crescimento da demanda, sobretudo, ao aumento no teto de financiamentos de R$ 32 mil para R$ 50 mil e a redução da taxa de juros de 1,2% para 0,8% ao mês, ocorrido no final de 2016. O programa conta com uma linha de crédito especial, o Crédito Produtivo, que segundo ele tem sido fundamental para ajudar o segmento no processo de recuperação contra a crise econômica. Com uma taxa de juros atrativa em comparação às praticadas pelas instituições financeiras, o programa possui um baixo índice anual de inadimplência: 0,3%.

“O Governo de Goiás achou por bem que, neste momento de crise, o Estado pudesse fomentar os pequenos negócios, o maior segmento gerador de emprego hoje no país com mais de 70% dos empregos gerados. Esse incentivo é para que eles possam continuar gerando emprego e renda e o Estado ir na contramão da crise”, diz Thiago.

Superintendente de Micro e Pequenas Empresas da SED, Thiago Falbo.

Superintendente de Micro e Pequenas Empresas da SED, Thiago Falbo.

Plano de Negócios
Um dos principais trunfos da ação de governo é investir na qualificação do empreendedor, por meio da parceria com o Sebrae. “O Curso Plano de Negócios é um pré-requisito porque a gente acredita que se o empreendedor tem uma capacitação, ele vai conseguir aplicar melhor o recurso e consequentemente vai obter retorno. Nós atendemos os 246 municípios in loco. Toda cidade que tiver uma turma formada de pelo menos 30 pessoas nós encaminhamos um instrutor para o local pra ministrar o curso.”

A liberação dos recursos, cuja fonte é o FunProduzir (10%), é feita via Goiás Fomento. A quantia emprestada é definida pelo plano de negócios que deve ser elaborado pelo empreendedor após o curso. Do total do valor, 70% dos recursos são destinados para investimentos – podendo ser revertido para despesas – e os outros 30% depositados na conta do empresário para uso como capital de giro. “Na crise tem muita dificuldade e a nossa intenção é justamente essa, de facilitar o acesso ao crédito rápido, que é liberado em até 30 dias.  Estamos sempre lutando para aumentar e atingir um número maior de empresas”, afirma Thiago.

Crédito Produtivo em números
Desde a criação do Crédito Produtivo, em 2004, o Governo de Goiás totalizou R$ 96 milhões em financiamentos contratados. De 2011 até hoje já foram capacitados mais de 140 mil empreendedores, com a liberação de R$60 milhões em crédito. O prazo de carência é de 6 meses, com 36 meses para quitar o empréstimo. Atualmente, o Programa conta com R$30 milhões em caixa, com orçamento anual de R$14 milhões.

Fotos: Léo Iran e Wagnas Cabral.






Gabinete de Gestão de Imprensa do Governador
Palácio Pedro Ludovico Teixeira, Rua 82, nº 400, 9º Andar, Setor Central. GOIÂNIA/GO. CEP: 74.015-908
Fone Redação: (62) 3201-5954
goiasagora@abc.go.gov.br